segunda-feira, 20 de maio de 2019

O valor dos amigos

Amigos…
Somos cercados deles durante todas as fases da nossa vida. Na infância, adolescência, na juventude, na vida adulta, depois de casados e na velhice. Amigos que ficam a vida inteira, temos amigos da igreja, da escola, da faculdade, do trabalho, da rua. Enfim, somos cercados o tempo inteiro por eles e, precisamos de amigos.

Pesquisas mostram que uma pessoa consegue fazer aproximadamente 400 amigos durante a sua vida. Desses 400, aproximadamente 30 ou 40 vivem a nos cercar e, apenas 6 se tornam íntimos os quais são chamados verdadeiros amigos. Pasmem, mas os meus verdadeiros amigos podem ser contados em apenas uma mão.
Estudos comprovam, inclusive, que pessoas que vivem cercadas de amigos tendem a sofrer menos de ansiedade e depressão. E pessoas que vivem isoladas sofrem três vezes mais o risco de uma morte prematura.
Todos nós PRECISAMOS de amigos! Nós não fomos feitos para vivermos sozinhos. Por isso, devemos levar muito a sério as nossas amizades.
A era digital está nos conectando a tudo e a todos. Ao mesmo tempo, está nos desumanizando. Em uma rede social podemos ter cinco mil amigos, mas, às vezes, não temos nenhum que nos ajude a ajuntar os cacos da nossa vida quando as coisas dão errado.
Temos centenas de pessoas nos acompanhando nessas redes, mas não temos ninguém que nos motive quando estamos abatidos, mas temos vários que curtem, comentam e compartilham aquilo que postamos. Mas, nem sempre temos aqueles que nos puxem as orelhas quando precisamos ou que nos abrace quando nós caímos. Então, por que isso acontece?

Estamos nos esquecendo que somos GENTE e, que não somos digitais.

Isso acontece porque estamos esquecendo-se de cultivar relacionamentos verdadeiros. . Não, nós não somos feitos de caracteres, mas de carne e osso, e mais, que temos uma alma, sentimentos, emoções e devemos saber como lidar com elas.
Por vezes, saímos com os nossos amigos para jantar e não desconectamos do celular. Antenados com aqueles que estão do outro lado do mundo e com isso, desconsideramos aqueles que estão ao nosso lado.
Saímos para um restaurante e, ao invés, de usufruirmos de uma boa comida e uma excelente companhia, queremos mesmo é fazer a selfie do prato para impressionar aqueles que estão longe e que não estão nem aí para nós.

Nunca conhecemos tanta gente como conhecemos hoje, mas nunca fomos tão carentes de relacionamentos como somos hoje em dia.

Sim, vivemos a geração do entretenimento, mas nunca se viu tanta gente depressiva. Somos a geração digital, das inúmeras redes de relacionamento, mas nunca fomos tão sozinhos.
Aristóteles, no século IV antes de Cristo, em sua obra ética dizia que: “a amizade é uma alma e dois corpos.” E a gente vê muito pouco disso hoje em dia. Ele também disse que amizades verdadeiras são muito mais do que aqueles que estão na nossa vida nas horas boas, os famosos, amigos das festas, ele dizia: amigos cuidam uns dos outros.
Se você chamar os seus contatos para uma conversa e um bom café, vocês não terão mais do que trinta minutos de papo, porque não possuem afinidades. Sabe o por quê? Porque você não os conhece. Eles não são seus amigos.
Onde você passa e gasta a maior parte do seu tempo? É justamente com os seus “amigos virtuais”, mas sabemos que um amigo é muito mais que um conhecido, é mais que um contato ou seguidor. Amigo é mais que um curtidor de fotos suas, é alguém que se alegra com a sua alegria e chora com a sua tristeza. Cuidado para não trocar essa ordem. Não abra as suas tristezas para quem não se alegra com as suas alegrias.
Amigo é aquele que parece que conhecemos desde sempre. Amigo que é amigo, quando o assunto acaba, o silêncio não incomoda.
Quer saber se alguém é seu amigo? Faça um teste simples. Fique em silêncio com essa pessoa. Se o silêncio causar ansiedade ou incômodo, corremos um sério risco de descobrir que esse alguém não é nosso amigo.
É com os amigos que aprendemos a diferença entre amar e gostar. Amar é querer bem, gostar é querer perto. Tem gente que eu amo, mas não quero perto. Os amigos são aqueles que amamos e gostamos, a gente os quer por perto.
O poeta Mário Quintana disse: “Existem dois tipos de chatos no mundo. Os chatos propriamente ditos e os chatos prediletos, que são os nossos amigos.”
Jesus um dia chegou para os seus discípulos e disse: “Olha gente, eu não quero chamar vocês de servos, não quero uma relação de poder e autoridade com vocês. Eu quero chamá-los de amigos”. Porque o amigo sabe o que vai fazer o outro amigo.
Se você tem um amigo, inspire-se, e mande uma mensagem para ele. Não precisamos de datas comemorativas para isso. Diga a ele o quanto lhe faz falta. E outra coisa, quem tem saudades não fica dizendo: “Qualquer dia vamos marcar alguma coisa para fazermos”, isso dizemos para colegas.
Quem tem saudades, aparece!
Invista tempo nos seus amigos.
Lembrando que você vai sentir falta de amizades verdadeiras em sua vida. Feliz é quem tem amigos para viver e conviver. Que Deus te dê sabedoria para conservar os seus.
Autor - Dione Alexsandra