sexta-feira, 1 de junho de 2012

Removendo a amargura


REMOVENDO A AMARGURA   (II Reis 2:19-22)


            Jericó era uma bela cidade, tinha de tudo para oferecer uma vida feliz aos seus habitantes.  Entretanto, seu povo era infeliz em virtude das “águas amargas”.  A Bíblia informa que suas águas eram péssimas (v. 19).  Igualmente há vidas preciosas na Igreja do Senhor que, embora agraciadas com beleza, inteligência e capacidade, padecem da “amargura de coração”.


a) Amargura: um mal que aflige crentes  
    
Convivemos em comunidade e não é raro que conflitos, desavenças, ressentimentos, se desenvolvam e contaminem o coração do crente com amargura.  Daí a Bíblia conter fatura de admoestações acerca da necessidade de “tirar do nosso meio toda amargura” (Efésios 4:31), de “não deixar que a raiz de amargura brote e contamine” (Hebreus 12:15).  O motivo pelo qual precisamos afastar a amargura de nós é claro: esterilidade.



b) O resultado da amargura:  esterilidade  (v. 19)   
    
Assim como em Jericó, cidade tão “agradável”, conforme o testemunho de seus habitantes, a amargura das águas impedia a felicidade do seu povo e o crescimento da cidade, a amargura de coração remove a alegria inerente ao servo do Senhor e o priva de frutificar na obra de Cristo.  Uma alma amargurada perde até mesmo a alegria de cultuar ao Senhor! (“Se você não tem alegria na vida cristã, existe vazamento em algum lugar no seu Cristianismo” Billy Sunday).    
Outro aspecto a destacar é a capacidade que a amargura enraizada tem de contaminar outras vidas:  “e que nenhuma raiz de amargura, brotando, vos perturbe, e por ela muitos se contaminem” (Hebreus 12:15).  A esterilidade resultante da amargura tende a alastrar-se pela Igreja do Senhor!  É um mal terrível!  O que fazer contra isso?


c)  É preciso recorrer ao Senhor para purificar-se  (v. 21)    
  
Os habitantes de Jericó recorreram à pessoa certa.  Através de Eliseu, o Senhor operou operou o milagre da purificação daquelas águas.  É preciso recorrer à ajuda do Senhor para purificar nossas almas, nossos corações de ressentimentos e amarguras,  de ofensas que já deveriam ter sido perdoadas, de mágoas sem fundamento, de raízes que insistem em brotar e que roubam nossa alegria.
            Recorra ao Senhor e confesse a Ele a amargura que sente, a tristeza, o ressentimento, a dificuldade em perdoar...  Seja sincero diante dEle e, humildemente, peça-lhe ajuda.  Deus, então, removerá a amargura do seu coração.        

2 comentários:

  1. Parabéns reverendo pelo seu Blog, muito lindo e organizado, lindas mensagens, que o Eterno continue te iluminando e inspirando-te a usar-se pela pena e pelo papel!
    Um forte queridão!
    Pr. Marcio Santos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá meu querido amigo e Pastor Márcio Santos e Missionária Elizabete! Obrigado pela visita e comentário no artigo...Que o Senhor abençoe grandemente vc e toda sua casa, não só hoje, mas pra todo sempre!

      Estamos juntos, lembre-se disso!!!

      Roberto.

      Excluir