quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Infinitamente mais - Efésios 3:20,21

Àquele que é capaz de fazer infinitamente mais do que tudo o que pedimos ou pensamos, de acordo com o seu poder que atua em nós, a ele seja a glória na igreja e em Cristo Jesus, por todas as gerações, para todo o sempre! Amém!

Estes dois versos são a parte final da oração que o apóstolo registrou na Epístola, conforme vimos no estudo anterior, e compõem uma doxologia (palavra que deriva do grego doxa, “glória” – uma declaração que reconhece atributos pessoais do nosso Deus).  Outras doxologias são encontradas no Novo Testamento: Rm 16:25 e Jd 24.

O nosso Deus é Todo-Poderoso e atua em nós, sua Igreja. É isso que diz o verso 20.  Tal constatação nos reporta às manifestações poderosas do Senhor junto ao Seu povo, Israel, no Antigo Testamento. Histórias como as relatadas no livro de Josué, como a conquista de Jericó (Js 6) e Juízes, como a vitória de Gideão contra os midianitas (Jz 7), dentre tantas outras, demonstram o que significa ter o poder de Deus operando em nós.  Em Romanos 8, a partir do verso 31, o apóstolo Paulo nos legou um cântico, chamado Cântico de Vitória, que inicia com a seguinte indagação: Se Deus é por nós, quem será contra nós? A resposta é óbvia: ninguém!!!
Somos mais do que vencedores! Somos mais do que vencedores! Mais do que vencedores em Cristo Jesus, nosso Senhor! Aleluia!!! (este é mais um trecho do Cântico de Vitória, Rm 8:37).
Deus está com Seu povo fiel e santo. Ele disse: Nunca o deixarei, nunca o abandonarei (Hb 13:5).  É a certeza da presença do Senhor que nos leva a confiar que conquistaremos territórios, venceremos gigantes, saltaremos muralhas.  Houve um dia quando Moisés declarou ao Senhor que se a Sua presença não fosse com ele e seu povo, ele desistiria de prosseguir! A palavra que o Senhor deu a Moisés naquela oportunidade é tremenda: Eu mesmo o acompanharei, e lhe darei descanso. (Ex 33:14).

Leve seus discípulos a declararem de todo o coração ao Senhor o desejo de contarem com Sua presença: Senhor, sem Sua presença eu não poderei prosseguir. Senhor, eu preciso da Sua presença!
O nosso Deus pode fazer infinitamente mais!  O apóstolo Paulo utilizou uma expressão pouquíssimo usada no Novo Testamento, huperekperissou, que pode ser traduzido do grego para o português como “muitíssimo mais” ou “infinitamente mais”.  Tal afirmação do apóstolo corrobora uma verdade expressa nas Escrituras: Deus não depende de circunstâncias favoráveis para realizar seus milagres. Ele pode todas as coisas e a Bíblia contém exemplos maravilhosos deste poder: 

a)      Abraão gerou um filho tendo quase cem anos de idade e Sara, aos 90 anos! (Gn 17:17);
b)      O Mar Vermelho se abriu e o povo de Israel passou em seco! (Ex 14:21);
c)      Josué orou e o sol e a lua se detiveram por quase um dia! (Js 10:12-14);
d)      Elias orou e o fogo caiu do céu sobre o altar no Monte Carmelo (I Rs 18:38);
e)      Ezequias orou, foi curado e o relógio retornou dez graus no relógio de Acaz (Is 38:7,8);

Esta lista de milagres poderia se estender por dezenas e centenas. É importante sabermos que nosso Deus tem tanto poder. Porém vale ressaltar que Ele é soberano e que Ele age de acordo com Sua vontade perfeita.  Isto era muito bem compreendido pelos três amigos do profeta Daniel na Babilônia. Sadraque, Mesaque e Abede-Nego se recusaram a adorar a estátua de ouro de vinte e sete metros de altura que o rei Nabucodonozor fizera. A penalidade instituída pelo monarca dos caldeus era de lançar numa fornalha todo que se recusasse a prostrar-se diante da estátua.

De acordo com o relato de Daniel 3, os três judeus fiéis se mantiveram firmes na resolução de não pecar contra do Deus Vivo. O texto relata que o rei mandou chamar os três e os intimou a adorar a imagem, caso contrário seriam lançados vivos na fornalha (vs. 13-15).  O verso 17 demonstra a fé dos servos de Deus de que Ele os poderia livrar, mas que mesmo que não os quisesse livrar, eles resolviam não adorar a imagem:
Sadraque, Mesaque e Abede-Nego responderam ao rei: não precisamos defender-nos diante de ti. Se formos atirados na fornalha em chamas, o Deus a quem prestamos culto pode livrar-nos, e ele nos livrará das tuas mãos, ó rei. Mas, se ele não nos livrar, saiba, ó rei, que não prestaremos culto aos teus deuses nem adoraremos a imagem de ouro que mandaste erguer.

Vale a pena mostrar aos seus discípulos o desfecho desta história, como o rei enfurecido mandou superaquecer a fornalha e do livramento sobrenatural que o Senhor proveu. Você percebe que os três judeus viam a possibilidade de que o Deus Todo-Poderoso não os livrasse? (Sim, Ele não livrou Estevão nem Tiago de serem mortos em Atos!).

A maior prova de que Deus pode todas as coisas foi o envio de Jesus Cristo, o Deus-Filho para morrer a nossa morte e ressuscitar dentre os mortos. Em Jesus o Deus Eterno demonstrou a grandeza de Seu Poder. Por conta disto Ele deve receber toda a glória para todo o sempre.


Ore com seus discípulos, rebanho, leve-os a declararem a fé no poder sem limites do nosso Deus, manifestado em Jesus Cristo. Conclame-os a assumirem o compromisso diante de Deus de jamais se dobrarem diante de outro deus. Leve-os a declararem que não há limites para o que Deus possa fazer em nossas vidas por conta de já haver dado Seu próprio Filho para morrer por nós. Aleluia!


Nenhum comentário:

Postar um comentário