sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

CONFIANÇA EM DEUS

"Depois destas coisas e destes atos de fidelidade, veio Senaqueribe, rei da Assíria e, entrando em Judá, acampou-se contra as cidades fortes, a fim de apoderar-se delas. Quando Ezequias viu que Senaqueribe tinha vindo com o propósito de guerrear contra Jerusalém". 2 CRÔNICAS 32:1-2

Lemos aqui, a história do rei Ezequias que conquistou uma vitória muito importante porque foi fiel e permaneceu firme no Senhor, mesmo em meio a uma grande luta. Ele foi rei aos 25 anos e reinou por 29 anos em Jerusalém.
Sua mãe era Abias, filha de Zacarias e seu pai era Acaz, filho de Davi e, "Um filho instruído por um pai ou uma mãe que temem a Deus, faz uma tremenda diferença". Ezequias não seguiu exemplo de seu pai, que não seguia os preceitos do Senhor e era infiel, mas seguiu as orientações de sua mãe, que instruiu-o a temer a Deus.
Com esse sábio ensinamento de sua mãe e seu avô Zacarias, Ezequias assim que começou o reinado, deu prioridade em abrir e reparar a Casa do Senhor e, começa seu reinando priorizando a restauração da aliança da nação para com Deus, pois ele sabia que era o que mais sua nação precisava.


Com a obra que Ezequias realizou em Judá naqueles dias, podemos fazer uma analogia com a obra que o Espírito Santo faz em nós quando nos entregamos à Cristo. Somos limpos no interior e temos o nosso louvor e adoração ao Senhor restabelecidos. Ezequias restaurou a aliança do povo com o Senhor, fez o povo se lembrar da Páscoa, dos dízimos e ofertas e Deus sarou aquele povo.
Todavia, a fé e fidelidade de Ezequias seriam tentadas e, isso era esperado. Sempre que fazemos algo que agrada a Deus, quando nos entregamos a Jesus, se ajudamos a evangelizar, se colocamos a mão no arado, é óbvio que o diabo vai tentar nos "puxar o tapete" e resgatar o que tinha em suas mãos. Nunca devemos baixar a guarda, pois o diabo não descansa nunca.
E assim aconteceu. Senaqueribe, rei da Assíria, veio com seu exército à Judá e tentou tomar posse das cidades. Nesse momento, pode ter passado pela mente de Ezequias e talvez nas nossas: "De que valeu toda fé e fidelidade?". Senaqueribe recebia tributo de Acaz, pai de Ezequias para não investir contra Judá e, durante o reinado de Ezequias esse pagamento não estava sendo feito, por confiança em Deus.
Talvez aos nossos olhos a situação em que vivemos é difícil de ser resolvida, já tentamos de tudo e não vemos uma saída e, essa parecia ser a situação daquela época, pois vencer Senaqueribe parecia ser impossível, pois era muito poderoso. Todavia, Ezequias confiava na vitória com Deus do seu lado e, animou o povo, encorajou, armou, criou táticas, ergueu torres, mas não desanimou. Precisamos ter ânimo e coragem para que as armas que o Senhor nos municiar, sejam bem usadas e não falhem. Precisamos confiar no braço forte do Senhor e não olhar para os problemas.
Façamos como Ezequias diante dos problemas, oremos. Diante das cartas de ameaça que recebeu, apresentou-as ao senhor clamando por livramento. Que coisa mais linda é poder confiar num Deus que nos escuta e atende no momento certo! E Deus respondeu confortando-lhe seu coração que nem ao menos uma flexa seria lançada.
Senaqueribe representou naquela época e representa hoje, a própria figura do diabo, que vem matar roubar e destruir nossos sonhos, esperanças e tudo que planejamos. Todavia, podemos contar com Deus para restaurar, restituir, socorrer, fortalecer e livrar. Faça como Ezequias, que em meio à provação ao invés de chorar e se lamentar, lutou e clamou a Deus.
No momento da invasão inimiga, Ezequias mandou fechar as fontes de água, pois serviriam de alimento e força de trabalho para o exército inimigo, poderia motivar a permanência deles naquele lugar. Fechemos as nossas fontes diante às investidas do inimigo, fechemos as brechas, tudo que possa ser usado contra nós, que vá desabonar a nossa conduta, que dará mau testemunho. Vamos buscar a face de Deus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário